Publicado em Deixe um comentário

Ducati MIG-RR

A nova Ducati MIG-RR é uma e-bike que foi apresentada no passado dia 4 de Novembro no Ducati World Première .  A MIG-RR é uma Enduro pronta a satisfazer os desportistas mais exigentes.

 

 

É o resultado de uma parceria com a Thok E-bikes, uma empresa Italiana especializada em e-bikes. A bicicleta é baseada na série MIG, sendo equipada com quadro em alumínio com uma nova geometria, 170mm à frente e 160mm a trás. O desenho resulta do trabalho de Aldo Drudi em colaboração com o Ducati Design Center.

 

 

Em termos de equipamento a MIG-RR vem equipada com suspensões FOX Factory Kashima, guiador Renthal em fibra de carbono, jantes Mavic, travões Shimano Saint com pinças de 4 pistões e transmissão Shimano XT de 11 velocidades. O motor é o Shimano Steps E8000 – que debita 250 Watts com binário de 70N e uma bateria de 504Wh.

A MIG-RR será apresentada ao público em geral amanhã (dia 8 de Novembro) na EICMA 2018 (Fiera Milano Rho, 8-11 Novembro).

Para quem estiver interessado na sua aquisição pode fazê-lo a partir de Janeiro no site da Ducati!

 

 

Fonte: Ducati MIG-RR

Publicado em Deixe um comentário

Afinal quantos Somos?

Já lá vai mais de um mês, foi a 26 de Janeiro, que foi lançada a Petição “Pelo Direito a Pedalar em Segurança” e afinal só somos 7818???

Não é esta a modalidade que gera milhões para o País e tem centenas de milhares de praticantes?

Onde estão?

A nossa segurança não tem importância?

Pelo Direito a Pedalar em Segurança

Partilhem e assinem a Petição, se não fizermos o nosso trabalho ninguém o fará por nós!

 

Publicado em Deixe um comentário

Xerpa Kit XP1 XP2

Xerpa é uma marca Italiana que se dedica exclusivamente ao desenvolvimento de soluções inovadoras para disponibilizar a tradicional câmara de substituição e ferramentas acessórias em bicicletas de estrada.

A gama de produtos da Xerpa é constituída por quatro produtos:

  • XP1 – Bolsa rígida de selim com adaptador e bomba CO2
  • XP2 – Bidon e porta bidon com câmara de ar suplente
  • XP3 – Bidon e porta bidon
  • XP Tri – Porta bidon para Triatletas com as ferramentas necessárias para um furo

A amostra que nos chegou é o combinado XP1 + XP2.

O XP1, a bolsa rígida, é colocado por baixo do selim com um parafuso e fica ajustado de forma aerodinâmica. O XP1 tem um adaptador e uma bomba de CO2. É preciso verificar a compatibilidade com o selim, no entanto, o XP1 é compatível com um elevado número de selins.

O material rígido do XP1 é Termoplástico, no total tem um peso de 59g incluíndo 41g da bomba de CO2 de 12g e 21g do adaptador.

O uso do XP1 é simples já que depois de instalado na bicicleta funciona com um sitema de gaveta, em que pressionando um pequeno botão ficamos com a “gaveta” na mão e com o adatptador e bomba. A bomba tem uma rosca para o encaixe perfeito com o adaptador.

O XP2 é constituído por um porta bidon que tem na parte inferior um compartimento para o transporte de uma câmara de ar suplente e desmonta. O bidon de 550ml tem um bucal maior que o normal mas de uso fácil. Com alguma prática é possível ter um maior ou menor fluxo no bucal puxando apenas parte do bucal. Os desmonta são pequenos mas suficientes para o trabalho.

O XP2 tem um peso total de 81g, com o bidon vazio… A montagem do porta bidon é simples e o acesso ao bidon é fácil.

Para se chegar à câmara é apenas necessário desapertar um parafuso que segura o porta câmara ao porta bidon e ficamos com a câmara na mão, depois podemos enrolar a câmara com furo e com algum geito colocamos a câmara furada no compartimento.

Em termos genéricos o equipamento apresenta um elevado grau de qualidade dos plásticos e bons acabamentos, sendo um conjunto que fica bem na bicicleta.

O Kit é um conjunto muito bem conseguido que nos evita as tradicionais bolsas de selim e permite levar tudo o que é necessário para o caso do azarado furo.

 

Neste momento os Xerpa XP1 e XP2 estão apenas disponíveis para bicicletas de estrada mas a marca assegurou-nos que estão a trabalhar para brevemente disponibilizarem o kit para BTT.

Fonte: http://www.xerpa.it/

Bons Montes ou neste caso Boas Estradas!

Publicado em Deixe um comentário

Petição “Pelo Direito a Pedalar em Segurança”

Tendo como primeiro subscritor o betetista Olímpico David Rosa, foi hoje lançada a petição “Pelo Direito a Pedalar em Segurança” , uma iniciativa da Estrada Viva, com o apoio da Federação Portuguesa de Ciclismo e da MUBi – Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta.

O documento, que poderá ser subscrito em http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT79814, será enviado ao Governo, ao Instituto de Mobilidade e dos Transportes e à Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

O texto de apresentação no Facebook da Federação Portuguesa de Ciclismo define desta forma a petição:

“Os signatários instam o Governo e demais entidades competentes “a fiscalizar com mais intensidade o cumprimento da lei, de forma diligente, regular e consistente, principalmente comportamentos perigosos em relação aos utilizadores vulneráveis: excessos de velocidade, incumprimento de regras de ultrapassagem (abrandamento da velocidade, ocupação da via adjacentes, no caso da ultrapassagem de ciclistas, e a distância mínima de 1,5 metros), o estacionamento ilegal sobre ciclovias e passeios”.

A petição defende a revisão do Regulamento de Sinalização de Trânsito, “de forma a incluir sinalética específica para proteger peões e condutores de bicicleta e alertar para a necessidade de comportamentos mais responsáveis por parte de condutores de automóvel”. Um exemplo seria a colocação de sinais de informação de presença de ciclistas, complementados com afixação de sinalética sobre a distância mínima de um metro e meio na ultrapassagem.

A iniciativa surge porque, “Portugal continua a apresentar estatísticas vergonhosas no que respeita ao número de vítimas mortais e feridos graves”, apesar das melhorias significativas na protecção aos utilizadores vulneráveis, conseguidas com a revisão do Código da Estrada, em 2014.

A Estrada Viva e as organizações que apoiam a petição – Federação Portuguesa de Ciclismo e MUBi – vão requerer uma audiência com o ministro da Administração Interna para propor a criação de um grupo de trabalho interministerial para lançar e coordenar as medidas urgentes propostas pelos peticionários.

A Federação Portuguesa de Ciclismo convida todos os cidadãos a associarem-se a este movimento, assinando a petição.”

O Blog Pó e Lama associa-se a esta iniciativa e convida todos os seus leitores a associarem-se a este movimento assinando a petição.
Assinar a Petição: Clique Aqui

 

 

Publicado em Deixe um comentário

Apoiar Luís Costa – Atleta Olímpico

O Paraciclista Luís Costa precisa de um Quadro de Carbono para os Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro 2016 e está a procurar apoios para conseguir reunir a verba necessária.

O Luís foi 7º no Ranking Mundial UCI em 2015 na classe H5.

Transcrevemos aqui o seu apelo:

“Depois de analisar muito bem a situação que envolve a minha intenção de adquirir um quadro de carbono para a minha handbike, tendo em vista aumentar as minhas possibilidades de lutar por uma boa classificação nos Jogos Paralímpicos de 2016 no Rio de Janeiro, tive que optar pela angariação direta em vez do “crowdfunding”…
E explico porquê:
Preciso de um conjunto totalmente em carbono composto por quadro, forqueta e bielas, pelo qual me são pedidos 10.000€ mais IVA (21% em Espanha, logo perfaz um total de 12.100€). Os restantes componentes serão aproveitados da minha actual handbike: rodas de carbono, mudanças eléctricas, transmissão, travões.
A empresa que vai fabricar o quadro, a “CarbonMaster”, prevê um prazo máximo de 6 meses para fabricar o artigo.
Optando pelo “crowdfunding”, teria que colocar no projecto um prazo final de angariação (o máximo admitido são 60 dias) e SÓ APÓS ESTE PRAZO e SÓ CASO O VALOR DE 12100€ FOSSE ATINGIDO, teria acesso ao dinheiro, ou seja, para além de não ter em breve os 50% para poder iniciar o fabrico do quadro, ainda corria o risco dos 12.100€ não serem atingidos nos 60 dias da angariação e assim não recebia nada, pois nessa situação todos os donativos são devolvidos aos doadores, o que acho bem numa situação normal, mas neste caso ia-me deixar em maus lençóis, pois deitaria por terra as minhas esperanças de ter o quadro em tempo útil.
Assim, pela doação direta na minha conta, creio que mais rapidamente terei o dinheiro que me falta para poder iniciar o fabrico do quadro e tendo fé na boa vontade de tantas pessoas que regularmente me apoiam e acompanham o meu percurso desportivo, chegaremos em tempo útil aos 12.100€00 necessários para pagar o “brinquedo”. As viagens a Bilbao para fazer o molde e outras afinações, ficam por minha conta.
Não é tão seguro (para quem faz o donativo) como o “crowdfunding”, mas terão que confiar em mim uma vez mais.
Porquê a necessidade de gastar tanto dinheiro? Este novo quadro permitirá uma redução estimada de aprox. 4 kg em relação à handbike que agora utilizo. Acho que não é preciso dizer mais nada, pois não?
Querem aumentar consideravelmente as hipóteses do único representante do paraciclismo português nos Jogos Paralímpicos Rio 2016 discutir um lugar entre os primeiros? Pois bem, ajudem-me com o vosso donativo para a conta abaixo indicada, partilhem esta publicação e convidem os vossos amigos para colocarem um gosto na minha página! O saldo da conta será publicado regularmente.”

 

NIB: 0018 0003 2356 1962 0206 3
IBAN: PT50 0018 0003 2356 1962 0206 3
BIC: TOTAPTPL
Ou por Paypal – luis.lmpkosta@gmail.com

Mais informação na página oficial do Luís Costa no Facebook: aqui.